Blog

Conceitos básicos

Lightroom

Negócios

Linguagem

  • Instagram - Cinza Círculo
  • YouTube - círculo cinza
  • Facebook - círculo cinza
  • LinkedIn - círculo cinza
  • Pinterest - círculo cinza
  • Twitter - círculo cinza

Charbel Chaves Fotografia

Fotografia | Estúdio | Eventos | Cursos

Rua Valdemar Bertoldi, 420

Alvorada Parque - Paulínia, SP

+55 (19) 99756-3999

Bloqueio criativo na fotografia



Se você parar para estudar o processo criativo e as suas aplicações em qualquer área criativa, vai encontrar esse fenômeno presente na carreira de praticamente todo mundo: o bloqueio criativo.

Veja bem, eu estou me referindo a um obstáculo interno que impede o artista de produzir ou continuar produzindo algo que ele considere relevante e interessante. É uma espécie de blackout interno. Pode até se confundir com um esgotamento emocional ou exaustão causada pela rotina. Mas o que interessa é que as idéias que surgiam não surgem mais e sua fonte interna de auto-motivação começa a perder energia.

Não vou me deter nas causas do bloqueio criativo neste post. O que quero é dar 3 estratégias para sair dele ou evitar que ele aflore.

Dê um tempo!

Parar de tentar é uma das coisas mais eficientes. Se você está se esforçando para criar um projeto autoral por um tempo razoável e nenhuma idéia lhe aparece, ou as que aparecem são ruins aos seus olhos, simplesmente pare de tentar. Durma, dê uma corrida, jogue dominó com alguém, vá pescar... mas pare de tentar. Deixe seu cérebro mudar de direção por uns dias ou horas. Desencane! É muito provável, que "sem querer", enquanto faz outra coisa surjam os "eurekas!".

Mude as fontes

Somos alimentados criativamente por várias fontes, de várias linguagens. Geralmente os fotógrafos se inspiram muito nas artes plásticas e no cinema, que são duas linguagens muito relacionadas à fotografia. E isso é bom e natural, não perca isso. Mas existem relações mais distantes que podem lhe dar conexões novas. E o que chamamos de "nova idéia" na verdade é uma conjunto de novas conexões. Sugiro que você busque entender e apreciar (curtir mesmo) relaxadamente a música, a dança, a arquitetura e a gastronomia. Pra começar. Mas atenção: curta! Deixe-se levar! Inclusive tente dançar, bolar um projeto, tocar um instrumento ou fazer uma criação na cozinha.

Brinque com o fantástico

Tente escrever uma história absurda (aos olhos de um adulto). Sabe aquelas historinhas que as crianças criam sobre um "pepino que fala demais", ou a "briga do tijolo com o giz de cera"? Então, pegue algumas palavras, transforme em personagens. Mude o universo ao redor, ponha um camponês na lua. Tente qualquer absurdo. Se ficar difícil, brinque de inventar uma historinha com uma criança abaixo dos 7 anos de idade. Elas são especialistas nesse campo. Mas leve a história à sério, como elas levam. Faça uns desenhos. Imagine um filme. Invente.

Precisamos entender que nosso cérebro tem tempos e caminhos que não conhecemos totalmente. Mas esse tipo de estratégia cria movimentos internos que driblam o tão temido e tão comum bloqueio criativo.